Como aprender um novo idioma afeta o cérebro

Como aprender um novo idioma afeta o cérebro

Hi there! ūüôčūüŹľ‚Äć‚ôÄÔłŹ

 

Aprendemos novos idiomas por todos os tipos de motivos: para trabalhar ou estudar em outro país, mudar para o exterior ou simplesmente por prazer.

 

Seja qual for a sua motivação, muitos acham que a experiência de estudar uma nova língua enriquece as suas vidas. Mas você sabia que conhecer um idioma também muda seu cérebro no nível físico?

Numerosos trabalhos analisaram como o aprendizado de um novo idioma influencia o funcionamento do cérebro em diferentes idades. Vamos ver como o estudo de uma segunda língua afeta esse órgão.

 

Uma perspectiva neurológica na aprendizagem de línguas


Os cientistas estudam pessoas bil√≠ngues (aquelas que aprenderam duas l√≠nguas ao mesmo tempo desde a inf√Ęncia) h√° d√©cadas. Eles est√£o interessados ‚Äč‚Äčem saber como falar duas l√≠nguas com flu√™ncia afeta o n√≠vel cognitivo. E com o advento da tecnologia de resson√Ęncia magn√©tica, eles agora s√£o capazes de verificar, num n√≠vel muito visual, as diferen√ßas entre c√©rebros monol√≠ngues e bil√≠ngues.


Todos os c√©rebros s√£o compostos de neur√īnios, com corpo celular, e dendritos, que s√£o as conex√Ķes entre os neur√īnios. √Č o que chamamos de ‚Äúmat√©ria cinzenta‚ÄĚ.


Pessoas bil√≠ngues t√™m mais neur√īnios e dendritos do que aquelas que falam apenas um idioma, o que significa que sua massa cinzenta √© mais densa.


O bilinguismo tamb√©m influencia a subst√Ęncia branca, ou seja, o sistema de fibras nervosas que conecta os quatro lobos do c√©rebro. Este sistema coordena a comunica√ß√£o entre diferentes regi√Ķes do c√©rebro e ajuda o c√©rebro a aprender e funcionar.


A subst√Ęncia branca dos adultos bil√≠ngues tem maior integridade do que a dos adultos que falam apenas um idioma. Seu conhecimento de um segundo idioma aumenta suas reservas cerebrais.


 


O que acontece com as pessoas que aprendem um idioma mais tarde?



As pessoas que estudam uma segunda l√≠ngua posteriormente podem continuar a beneficiar de algumas das altera√ß√Ķes neurol√≥gicas produzidas por este tipo de aprendizagem, independentemente do n√≠vel que tenham atingido. Ter novas experi√™ncias (novidade) √© um fator importante na forma√ß√£o de novas conex√Ķes no c√©rebro e no fortalecimento das liga√ß√Ķes no sistema nervoso. Esses v√≠nculos e conex√Ķes s√£o mantidos atrav√©s da pr√°tica regular.


Estudar um novo idioma combina novidades com pr√°tica, por exemplo, quando os alunos aprendem novas palavras e constru√ß√Ķes gramaticais e passam tempo revisando e expandindo conhecimentos anteriores.


Esta combina√ß√£o √© uma das raz√Ķes pelas quais a aprendizagem de l√≠nguas √© um exerc√≠cio cerebral t√£o eficaz e protege os alunos mais velhos contra a dem√™ncia e outras doen√ßas neurol√≥gicas degenerativas.


Mas todos podem beneficiar da aprendizagem de línguas. Na verdade, é uma das atividades mentais mais complexas que podem ser realizadas, o que a torna uma forma muito eficaz de exercitar o cérebro.


 


Como a aprendizagem de línguas melhora outras habilidades


Devido ao impacto mensurável da aprendizagem de línguas no cérebro, não é surpreendente que as mudanças físicas sejam acompanhadas pelo desenvolvimento de outras competências, como comunicação, criatividade, memória e concentração.


 


  1. Melhor desempenho acadêmico

Numa meta-análise de 20 estudos sobre a aprendizagem de línguas e o seu impacto no desempenho académico, a maioria (90%) mostrou que os alunos de línguas têm melhor desempenho em algumas disciplinas académicas do que os alunos que não estudam uma segunda língua. Aprender outra língua também melhora as competências de leitura e escrita dos alunos, dando-lhes uma vantagem em disciplinas básicas como matemática ou ciências.


 


  1. Maior concentração

Uma semana aprendendo um novo idioma tem um impacto positivo nos níveis de alerta e concentração dos alunos. Essa melhora é mantida com o estudo contínuo do idioma por pelo menos cinco horas semanais.


Além disso, participaram deste estudo estudantes com idades entre 18 e 78 anos , e foi observada melhora na capacidade de atenção em todas as faixas etárias. Ou seja, estudar um novo idioma aumenta a concentração dos alunos, independente da idade.


  1. Memória mais poderosa

Estudar um idioma envolve tanto a capacidade de memorizar (para aprender novas palavras e regras) quanto de lembrar (para produzir novos conte√ļdos lingu√≠sticos nas atividades de aula). N√£o √© surpreendente, portanto, que as pessoas que usam frequentemente uma segunda l√≠ngua tenham uma mem√≥ria mais forte.


Na verdade, a investigação mostra que as pessoas que falam uma segunda língua têm regularmente melhores resultados em testes de memória do que os monolingues, quer tenham aprendido a língua quando crianças ou adultos. Além disso, a aprendizagem de línguas melhora a memória de curto e longo prazo.


 


  1. Maior capacidade de comunicação

Os primeiros estudos sobre a aprendizagem de línguas mostraram que isso aumentou a empatia dos alunos. Pesquisas mais recentes descobriram que a empatia é uma característica fundamental para o sucesso na aprendizagem de um segundo idioma.


Falar uma segunda língua pode melhorar a capacidade dos alunos de ver as coisas de outra perspectiva, o que tem um impacto positivo nas suas capacidades de comunicação.


 

Além disso, praticar habilidades acadêmicas típicas do estudo do idioma, como a escuta ativa, pode melhorar as habilidades de comunicação dos alunos no dia a dia.


 


  1. Maior criatividade

As crianças bilíngues demonstram maior criatividade e flexibilidade na resolução de problemas do que os seus pares monolíngues, e o mesmo se aplica aos alunos de uma segunda língua.


Vários estudos demonstraram que aprender uma língua parece desbloquear a capacidade criativa dos alunos. Isso pode ser devido aos processos mentais envolvidos nessa aprendizagem, como a tradução, a mudança de um idioma para outro e o estudo disciplinado, além da vontade de aprender e se adaptar.


O dom√≠nio do idioma auxilia os alunos em todas as √°reas da vida, al√©m de aprimorar suas habilidades e ajud√°-los a resolver problemas e tomar decis√Ķes. Em √ļltima an√°lise, tudo isso contribui para enriquecer suas rela√ß√Ķes pessoais, sociais e profissionais.


Assim, quer aprenda ou ensine outras línguas, cada vez que fala uma segunda língua está a desenvolver as suas capacidades, a exercitar o seu cérebro e a aumentar as suas reservas cognitivas.

Voltar para o blog